6 de jan de 2008

E se... um cara raspasse só metade da barba?

Um cara chamado Pete Hickey tinha o costume de esquiar, correr e andar de bicicleta no inverno e ouvia dizer que usar barba mantém o rosto quente nessa época.
Mas aí ele pensou... será que isso é verdade mesmo? Então resolveu testar a teoria de forma científica.

Só que se deparou com um problema. Se ele raspasse toda a barba, ficaria difícil de comparar com ficar de barba no próximo inverno, porque um inverno poderia ser mais frio que o outro ou ele simplesmente poderia não lembrar de quão frio foi o inverno passado.

Então ele resolveu fazer o seguinte: raspar só um lado da barba.

Nas suas atividades ao ar livre, ele encontrou parâmetros mais abrangentes do que somente temperatura. Os resultados:

Peso: Ele não se deu conta disso quando pensou no experimento, mas o lado do rosto que estava de barba ficou mais pesado que o lado raspado.

Resistência do ar: Em altas velocidades, ele percebeu que o lado barbado oferecia mais resistência do ar, ou seja, estava menos aerodinâmico. Isso fez com que ele forçasse mais os músculos do pescoço de um lado para contrapor a resistência do ar.

Temperatura: Apesar dos incovenientes, ele continuou o experimento andando de ski, correndo e andando de bicicleta. Ele percebeu que realmente a barba deixa o rosto aquecido e mais confortável. O lado raspado sentiu bem mais frio.

Apesar dos resultados, Pete percebeu que isso é só o começo. Nenhum teste analítico foi feito. Ele poderia somente ter achado que o lado com a barba estava mais quente. Não foi feita nenhuma medição. Ele promete aprofundar as pesquisas deixando desta vez o outro lado da barba crescer. Pode ser que um lado seja mais sensível ao frio do que o outro...

Se você pensa que tudo isso é coisa da minha cabeça, entre no site do Pete onde ele relata o experimento. Não deixe de ouvir também as músicas que ele fez, entre elas "The Spam Song".
O cara manda bem.

Nenhum comentário: